INTERFACES DA (NÃO) ADESÃO AO TRATAMENTO DO DIABETES MELLITUS TIPO II

Palavras-chave: Diabetes Mellitus Tipo 2, Atendimento de Enfermagem, Tratamento Medicamentoso.

Resumo

A não adesão ao tratamento medicamentoso é a principal causa de insuficiência da terapêutica, ocasionando ainda intoxicações pelo uso irracional de medicamentos e agravos no processo patológico. Identificar os fatores contribuintes para a não adesão ao tratamento medicamentoso, tal como suas possíveis complicações. Estudo descritivo do tipo revisão integrativa da literatura, nas bases de dados LILACS, BDENF, MEDLINE e SCIELO. Os descritores foram devidamente consultados no Descritores em Ciências da Saúde , selecionou-se: “Atendimento em Enfermagem”, “Diabetes Mellitus tipo II” e “ Tratamento medicamentoso”, a fim de permitir o cruzamento simultâneo utilizou-se o operador booleano AND. Foram incluídos estudos que apresentavam relação com a temática central, disponíveis na integra, nos idiomas português, inglês e espanhol, no período de 2010 a 2019. A busca nas bases de dados resultou na coleta de 16 artigos, que preencheram adequadamente os critérios estabelecidos e foram selecionados para inclusão no estudo. A partir da análise das publicações inclusas na revisão foi possível constatar que grande parte dos estudos se referem a preocupação da não adesão ao tratamento medicamentoso do Diabetes Mellitus, sendo assim, emergiu-se 3 categorias temáticas, a saber: C1- Contribuintes para a não adesão ao Tratamento medicamentoso; C2- Complicações advindas da não adesão ao tratamento medicamentoso e C3- A polifarmácia e suas interfaces. Identificou-se que existem fatores sociais, educacionais e comportamentais que contribuem para a adesão ou não ao tratamento, além de apresentar as complicações que a não adesão pode trazer para a vida da pessoa com DM.

Biografia do Autor

Wallison Pereira dos Santos

Enfermeiro. Mestrando em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal da Paraíba PPGENF/UFPB

Myllene Miguel da Silva

Enfermeira Pela Universidade Federal de Campina Grande, Campus Cuité

Fernanda Beatriz Dantas de Freitas

Enfermeira. Residente em Unidade de Terapia Intensiva pela Secretaria Estadual de Saúde do Pernambuco SES-PE

Fernanda Teixeira de Souza

Enfermeira pela Universidade Federal de Campina Grande, Campus Cuité

Publicado
2019-08-31
Como Citar
Santos, W., Silva, M., Freitas, F., & Souza, F. (2019). INTERFACES DA (NÃO) ADESÃO AO TRATAMENTO DO DIABETES MELLITUS TIPO II. Revista De Ciências Da Saúde Nova Esperança, 17(2), 56-63. https://doi.org/10.17695/revnevol17n2p56-63