QUALIDADE DE VIDA DE PRATICANTES DE DANÇA EM ACADEMIAS NO PERÍODO PANDÊMICO DA COVID-19

Palavras-chave: Saúde Mental, Pandemia, Exercício Físico, Questionários

Resumo

Mesmo com os benefícios, trazidos pela dança, em diversos aspectos relacionados à saúde e ao condicionamento físico de indivíduos, de diferentes faixas etárias, percebe-se que poucos estudos na literatura investigam a qualidade de vida de praticantes de dança em academias. Desta forma, o objetivo do presente estudo é analisar a percepção da qualidade de vida de praticantes de dança em academias na cidade de João Pessoa - PB. A amostra foi composta por 101 pessoas, entre homens e mulheres, praticantes de dança em academias da cidade de João Pessoa. A percepção da qualidade de vida foi verificada por meio do questionário WHOQOL-bref. Os dados foram analisados no pacote estatístico computadorizado Statistical Package for the social Science, versão 21.0. Inicialmente, foi realizado o teste de distribuição de frequência absoluta e relativa para análise dos dados referentes a prática da dança e aos domínios da qualidade de vida. Os principais achados deste estudo apontam que: a) a maioria dos praticantes de dança em academias é do sexo feminino (85,1%); b) apresentam uma qualidade de vida satisfatória, como também, uma melhor percepção de qualidade de vida no domínio relações sociais (77,2%). Conclui-se que as aulas de dança em academias são compostas, em sua grande maioria, pelo público feminino e, ainda, que a dança em academias, por seus escores satisfatórios, pode ser um instrumento para a melhoria/manutenção da qualidade de vida.

Publicado
2021-04-28
Como Citar
Brito, B., Rodrigues Neto, G., & Silva, J. (2021). QUALIDADE DE VIDA DE PRATICANTES DE DANÇA EM ACADEMIAS NO PERÍODO PANDÊMICO DA COVID-19. Revista De Ciências Da Saúde Nova Esperança, 19(1), 24-30. https://doi.org/10.17695/rcsnevol19n1p24-30
Seção
Ciências da Saúde/Artigo Original