MAGNITUDE DO POLIMORFISMO NOS GENES DA FAMÍLIA DO CITOCROMO P450 NAS CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS; UMA REVISÃO DE LITERATURA

  • Luciana Vilar Torres
Palavras-chave: Polimorfismo genético., Farmacogenética., Citocromo P450.

Resumo

O metabolismo de fármacos visa transformá-lo em um intermediário com menor atividade e fácil de ser excretado. Dentre os diversos sistemas enzimáticos responsáveis por esse processo, destaca-se o citocromo P450. Este sistema oxidativo compreende 57 genes que codificam enzimas, sendo as mais importantes as CYP1A2, CYP2C9, CYP2C19, CYP2D6, CYP3A4 e CYP3A5 que, conforme o polimorfismo presente, pode aumentar ou reduzir esta metabolização. Já é observado que em certas populações, respostas anormais a medicamentos se dão devido a uma variabilidade na
farmacocinética que é totalmente ligada aos genes do citocromo P450. Com o desenvolvimento da biologia molecular, o uso de biomarcadores
genéticos vem aparecendo como uma ferramenta a mais para prever o comportamento individual de um paciente, frente às opções terapêuticas. É necessário estudar estes determinantes genéticos para poder identificar novos alvos terapêuticos. Porém, no Brasil há alguns fatores que impedem este processo como a miscigenação da população e testes genéticos  onerosos.

Publicado
2016-12-20
Como Citar
Torres, L. (2016). MAGNITUDE DO POLIMORFISMO NOS GENES DA FAMÍLIA DO CITOCROMO P450 NAS CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS; UMA REVISÃO DE LITERATURA. Revista De Ciências Da Saúde Nova Esperança, 14(3 - especi), 10-17. https://doi.org/10.17695/revcsnevol14n3 - especip10-17
Seção
Ciências da Saúde/Artigo Original

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##