IDOSOS COMUNITÁRIOS: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA

  • Ryanne Pinheiro Monteiro
  • Luís Renato Cardozo Custel da Silva
  • Clarissa Leite de Menezes Ferraz Gomes
  • Adriana Lira Rufino de Lucena
  • Kay Francis Leal Vieira
Palavras-chave: Idoso, Centro de Convivência, Qualidade de vida

Resumo

O processo de envelhecimento populacional é um fenômeno extremamente perceptível, ocorre de forma mais notória em países emergentes. Atualmente, busca-se para esse público uma melhor qualidade de vida, ressaltando, a importância de se compreender os conhecimentos, experiências e valores individuais e comunitários. Nesse sentido, os grupos de convivência constituem importante ferramenta de suporte psicossocial e afetivo para a pessoa idosa. Estudo descritivo de abordagem quantitativa realizada com 30 idosos participantes do Projeto de Extensão “Envelhecimento Saudável” da FACENE/FAMENE que responderam ao WHOQOL-old e a um questionário sócio-demográfico, no período de março a dezembro de 2014. Houve predomínio do sexo feminino (83,3%), a maioria viúvas; baixo poder aquisitivo (33,3%) e baixa escolaridade (76,7%). Em relação à avaliação da qualidade de vida dos participantes, verificou-se que os maiores escores foram nas facetas Participação Social (3,56) e Atividades Passadas, Presentes e Futuras (3,56), enquanto que o Funcionamento Sensorial (2,81) e Morte e Morrer (2,85) apresentaram os menores. Para ofertar a população idosa melhor qualidade de vida, torna-se fundamental investigar e identificar os fatores físico, biológico, psicológico, social e o estilo de vida adotado pela pessoa e, assim, sugerir formas de atender essas necessidades, como também estimular a inserção social, como a participação em grupo de convivência, almejando a manutenção do equilíbrio biopsicossocial.

Publicado
2015-12-15
Como Citar
Pinheiro Monteiro, R., Custel da Silva, L. R., Ferraz Gomes, C. L. de, Rufino de Lucena, A., & Leal Vieira, K. (2015). IDOSOS COMUNITÁRIOS: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA. Revista De Ciências Da Saúde Nova Esperança, 13(2), 51 - 59. https://doi.org/10.17695/revcsnevol13n2p51 - 59
Seção
Ciências da Saúde/Artigo Original

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>