AVALIAÇÃO DA MORTALIDADE NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DO HOSPITAL GOVERNADOR FLÁVIO RIBEIRO EM SANTA RITA-PB (HGFRC), SEGUNDO ESCORE SOFA

  • Sâmia Everuza Ferreira Fernandes
  • Iana Lícia Cavalcanti de Castro
  • Candisse Bezerra Matias de Lucena
  • Paula Leal dos Santos
  • George Robson Ibiapina
  • Ana Caroline Escarião de Oliveira
Palavras-chave: Mortalidade, Prognóstico, Insuficiência de Múltiplos Órgãos

Resumo

Avaliar a mortalidade de pacientes internos na Unidade de Terapia Intensiva do HGFRC, segundo o Sequential Organ Failure Assessment (SOFA). Foi realizada uma coorte com 10 pacientes no período de 72h, com idades superiores a 63 anos, portadores de patologias diversas. As variáveis utilizadas foram: SOFA nos dias 1,2 e 3, idade, sexo, patologias (pneumonia ou outras) e mortalidade. Para a análise, foi utilizado o teste Exato de Fisher, desde que as condições para utilização do teste Qui-quadrado de Pearson fossem suficientes. Para verificar o grau de concordância entre a escala SOFA e a ocorrência de óbito, foi obtida a curva ROC com área sob a curva e um intervalo de confiança de 95% para a referida área. A margem de erro utilizada para a decisão dos testes estatísticos foi de 5,0%. A idade média dos pacientes foi 73,5 +/- 7 anos, dos quais 70% eram homens. O diagnóstico predominante foi de pneumonia (90%). O SOFA foi avaliado em intervalos de 6 a 11 e de 12 a 13 e a mortalidade neles foi de 42,9% e 66,7% (p=1,00), respectivamente. O SOFA em relação aos óbitos apresentou área na curva ROC de 0,640 (95,0%: IC 0,25 a 1,00); relativo ao sexo, o SOFA de 6 a 11 esteve presente em 71,% (p=1,00) dos homens e na pneumonia em 60% (p=1,00), nas idades entre 63 e 75 anos este SOFA apareceu em 83% (p=0,50). A mortalidade no sexo masculino foi de 57,1% (p=0.487), para pneumonia 60% (p=1,00) e entre as faixas etárias analisadas 63 a 75 e 76 a 87 foram iguais 50% (p=1,00). Na nossa coorte, a mortalidade foi mais comum no SOFA 12, 13, sexo masculino, diagnósticos de pneumonia e entre os intervalos etários, foram igualmente acometidos, mas todos sem apresentar significado estatístico.

Publicado
2014-06-15
Como Citar
Ferreira Fernandes, S., Cavalcanti de Castro, I., Matias de Lucena, C., dos Santos, P., Ibiapina, G., & Escarião de Oliveira, A. (2014). AVALIAÇÃO DA MORTALIDADE NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DO HOSPITAL GOVERNADOR FLÁVIO RIBEIRO EM SANTA RITA-PB (HGFRC), SEGUNDO ESCORE SOFA. Revista De Ciências Da Saúde Nova Esperança, 12(1), 17 - 23. https://doi.org/10.17695/revnevol12n1p17 - 23
Seção
Ciências da Saúde/Artigo Original

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##